Soja convencional ainda é cultivada no Brasil, mas área plantada diminui

No ano passado, semente não-transgênica ocupou 17,3% da área de cultivo e, neste ano, não deve passar de 12%. Custo de produção é mais alto, mas valor de venda também. A soja transgênica domina a produção brasileira, mas ainda existem compradores que preferem a convencional. O principal destino dela é a exportação para a Europa e a Ásia. Esse nicho de mercado, porém, vem diminuindo ano a ano.
Na safra passada, o grão convencional ocupou 17,3% da área total de cultivo e, neste ano, deve ficar entre 10% e 12%, segundo estimativa do Instituto Soja Livre.
“Estou falando de 10% a 12% de um total de 9,5 milhões de hectares”, pondera Eduardo Vaz, analista do instituto. Ele fez a projeção com base nos volumes de comercialização de sementes.
A redução pode ser explicada pelo fator custo/benefício: quem investe na lavoura convencional gasta R$ 3.975,90 por hectare, 3,8% mais do que quem cultiva a soja transgênica (R$ 3.830,87).
Na fazenda de Adriano Soares, em Diamantino, Mato Grosso, os 700 hectares que foram cultivados com soja convencional no ano passado, vão receber variedades transgênicas nesta safra.
“Hoje a conta não está fechando a favor da soja convencional”, diz o produtor.
“E a gente tem que Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!