Pode chamar de louco, mas o Fed deve continuar aumentando os juros

Por Howard SchneiderWASHINGTON (Reuters) – Vendas generalizadas de ações, crescentes tensões comerciais com a China, crescimento global mais lento e pressão verbal da Casa Branca não devem afetar os planos de aumentos de juros do Federal Reserve, numa economia que vem agindo em linha com as previsões do banco central. As tumultuadas 48 horas incluíram uma queda de 800 pontos no Dow Jones e fortes recuos em outros índices acionários, uma previsão de crescimento global em desaceleração do Fundo Monetário Internacional (FMI), e comentários laterais do presidente Donald Trump nos quais ele chamou o Fed de “louco”, “loco” e “muito agressivo” na elevação dos juros.Mas os dados divulgados desde o último encontro do Fed em setembro têm vindo em linha com o retrato que o banco central faz da economia no qual um desemprego historicamente baixo vai coexistir com a inflação próxima da meta de 2 por cento do banco central à frente. Aumentos de juros graduais -levando a taxa básica de 2 e 2,25 por cento para cerca de 3,4 por cento no próximo ano e meio – desaceleraria um pouco a economia, mas manteria a inflação sob controle durante um período recorde sem recessão que começou nos anos Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!