Novos investidores do Tesouro Direto triplicam com taxa zero

Taxa semestral cobrada da B3 caiu de 0,3% para 0,25%
Pixabay

Depois de os grandes bancos zerarem as taxas para aplicação no Tesouro Direto no segundo semestre do ano passado, o número de novos investidores no programa de compra e venda de títulos do governo federal praticamente triplicou de lá para cá.

O volume de novos aplicadores, que andava estacionado em 11 mil ao mês há pelo menos dez meses consecutivos, saltou para perto de 32 mil em setembro, imediatamente após o anúncio em massa das instituições financeiras.

Os bancos isentaram as taxas de administração dos aportes dentro da plataforma do Tesouro Direto, uma prática que já era adotada pelas corretoras independentes e, na avaliação dos especialistas tido como um dos principais atrativos até então para a expansão da base de investidores nessas plataformas.

Rendimento maior e diário torna Tesouro mais atrativo que poupança

Em setembro, mês em que Itaú, Santander e Banco do Brasil anunciaram a isenção nas taxas, foram veiculados comerciais na TV e na internet sobre a medida. Com isso, segundo o Tesouro Direto, o número de novos investidores ativos mensais bateu recorde histórico de 31.911 e se manteve, na média, na casa de 29 mil Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!