Nova regra de financiamento deve reduzir juros e ajudar classe média

Regra é vista como positiva às empresas e compradores
Getty Images

O novo modelo de financiamento imobiliário com o uso dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para a compra de imóveis começa a valer em 2019 e deve reduzir as taxas de juros e atrair compradores da classe média a realizar o sonho da casa própria.

A Resolução 4.676, de 2018, assinada pelo CNM (Conselho Monetário Nacional), estabeleceu que os financiamentos realizados com base no SFH (Sistema Financeiro de Habitação) — aquele que utiliza dos recursos da poupança — poderão bancar imóveis de até R$ 1,5 milhão em todas as regiões do país.

Atualmente, o valor máximo do crédito é de R$ 950 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal.

Governo quer antecipar teto de R$ 1,5 milhão para financiar imóveis

Para Marcello Romero, especialista em mercado imobiliário e presidente da corretora Bossa Nova Sotheby’s International Realty, o novo limite tende a impulsionar a aquisição de imóveis por consumidores da classe média.

“Com essas medidas, o financiamento volta a ser um bom negócio, principalmente para a classe média, que foi a mais impactada pela crise econômica”, avalia Romero, que vê Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!