EUA querem que vice-presidente financeira da Huawei enfrente acusação por fraude

Por Julie Gordon e Anna Mehler PapernyVANCOUVER/TORONTO (Reuters) – Promotores dos Estados Unidos querem que uma das principais executivas da companhia chinesa Huawei enfrente acusações de fraude relacionadas violação de sanções contra o Irã, segundo informações de uma audiência realizada em um tribunal canadense nesta sexta-feira.A vice-presidente financeira da Huawei, Meng Wanzhou, de 46 anos, que também é filha do fundador da companhia, foi presa em 1º de dezembro a pedido dos Estados Unidos.Meng enfrenta acusações de fraude nos EUA por supostamente acobertar a relação da Huawei com a Skycom, sediada em Hong Kong, segundo evidências lidas no tribunal nesta sexta-feira.De 2009 a 2014, segundo as evidências lidas, a Huawei usou a Skycom para operar negócios no Irã, apesar de proibições dos EUA e da União Europeia.Se for extraditada, Meng pode enfrentar acusações de conspiração para fraudar múltiplas instituições financeiras, afirmaram promotores, com uma sentença máxima de 30 anos para cada acusação.Meng foi recebida na lotada Suprema Corte da Columbia Britânica por dezenas de fotógrafos que estavam do lado de fora do prédio. Ela conversou com seus dois advogados através de um tradutor.A notícia da prisão de Meng abalou mercados acionários globais por temores de que a medida poderá escalar Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!