EUA arrastam câmbio da China para centro de disputa comercial, FMI faz apelo por solução

Por David Lawder e Yawen ChenNUSA DUA, Indonésia (Reuters) – Os Estados Unidos buscam tornar o câmbio uma parte central de qualquer solução para sua disputa comercial com a China, mantendo pressão sobre Pequim para acelerar reformas econômicas em uma reunião de formuladores de políticas, que se comprometeram a fazer mais para proteger o crescimento global. O presidente do banco central da China, Ya Gang, prometeu neste sábado manter o valor do iuan “amplamente estável”, nas reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, em Bali, onde o FMI tenta levar as duas maiores economias do mundo a resolver suas disputas. O comunicado do presidente do Banco Popular da China para o comitê de direção do FMI destacou que o país não adotará desvalorizações competitivas da moeda. “A China continuará a deixar o mercado desempenhar um papel decisivo na formação da taxa de câmbio”, disse Yi no comunicado. “Não vamos nos engajar em desvalorizações competitivas e não usaremos a taxa de câmbio como uma ferramenta para lidar com atritos comerciais.” Um comunicado emitido pelos países-membros do FMI neste sábado – que veio depois de um novo tumulto nos mercados financeiros – também buscou acalmar investidores nervosos com a Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!