ENTREVISTA-Engie tem negociações avançadas para eólicas com 100% de contratos no mercado livre

Por Luciano CostaSÃO PAULO (Reuters) – A gigante francesa Engie pretende viabilizar seus próximos parques de energia eólica no Brasil sem ajuda das fortemente disputadas licitações do governo federal para novos empreendimentos de geração, que atraíram mais de mil projetos em suas últimas rodadas.A empresa está em negociações com clientes no chamado mercado livre de energia para assinar contratos de venda em volume suficiente para permitir a construção de usinas que demandariam investimentos bilionários, disse à Reuters o diretor financeiro da Engie Brasil Energia, Carlos Freitas.A estratégia busca aproveitar a força das operações de comercialização de eletricidade do braço local da Engie, que é líder em negociações no mercado livre –no qual grandes clientes, como indústrias, podem fechar contratos de suprimento diretamente com os fornecedores.”Nós temos mais de 400 clientes aqui na Engie, de vários portes, vários setores, e nossa ideia é usar essa capacidade comercial que temos aqui. Já estamos fechando contratos, até ter a ‘massa crítica’ suficiente que viabilize o investimento. A gente espera poder anunciar algo em breve”, adicionou, sem descartar um anúncio ainda em 2018.O executivo disse que a intenção da Engie é construir usinas que somem uma capacidade de ao menos 300 megawatts, um tamanho Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!