Desigualdade, queda na renda e desemprego entre jovens: o que o novo relatório do IDH diz sobre o Brasil

Brasil figura como o 9º país mais desigual do mundo
Getty Images

O Brasil nem piorou, nem melhorou no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que mede o progresso dos países em saúde, educação e renda. A posição do país no ranking de 2017, divulgado nessa sexta-feira (14) pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), não mudou. Além disso, o IDH do país é praticamente o mesmo dos dois anos anteriores.

Um dos aspectos que mais frearam o avanço brasileiro foi a queda da renda da população, causada pela crise econômica. A renda per capita, um dos critérios que compõem o IDH, caiu em 4% de 2015 a 2017 – de 14,3 mil dólares por ano para 13,7 mil dólares (cerca de R$ 57 mil anuais). Já os indicadores de educação e saúde tiveram ligeira melhora.

Além disso, o relatório destaca que o Brasil tem a nona maior desigualdade de renda do mundo, medida pelo coeficiente de Gini. É o país mais desigual do continente americano. No mundo, o pior é a África do Sul, que viveu durante quase meio século um regime de segregação racial, o apartheid.

Veja abaixo cinco destaques do novo relatório Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!