Câmbio apresenta desafios, mas Azul está preparada, dizem executivos

SÃO PAULO (Reuters) – O presidente do conselho de administração da Azul, David Neeleman, disse nesta quinta-feira que a valorização do dólar é um desafio, mas que a empresa está preparada.Em teleconferência com analistas para comentar o resultado do primeiro trimestre, executivos da empresa disseram que a Azul possui política de hedge cambial e também para a exposição às oscilações dos preços do combustível, mas que essas medidas são de curto prazo e fazem parte de outras frentes adotadas pela empresa para enfrentar essas oscilações.Segundo o presidente-executivo da Azul, John Rodgerson, embora as oscilações cambiais tenham algum impacto nos negócios, a empresa tem baixa exposição cambial. No primeiro trimestre, 65 por cento da dívida total da Azul era em reais, enquanto 35 por cento era em dólares. Quando exclui aeronaves, a dívida na moeda norte-americana vai para 1 por cento do total. Em relação ao eventual impacto na demanda por voos internacionais, os executivos da empresa disseram que é possível ver uma redução nessa linha devido à alta do dólar, mas que um aumento na demanda por voos do exterior com destino ao Brasil poderia compensar esse efeito.Mais cedo, a Azul reportou seus números referentes aos Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!