Alta do dólar afeta preços de alimentos no Brasil

Dólar chegou a R$ 4,14 na terça-feira (28)
André Avila / CP Memória

O dólar voltou a subir na terça-feira (28) sob influência das incertezas da corrida eleitoral, e atingiu a cotação de R$ 4,14 — o segundo maior valor nominal desde o início do Plano Real, em 1994.

A moeda americana, que está na casa dos R$ 4 desde 21 de agosto, registra alta de 10,2% só neste mês e de 25% no ano. O novo patamar do câmbio já pressiona preços de produtos importados, especialmente combustíveis, medicamentos e de alguns alimentos.

Este mês, o valor da gasolina acumula alta de quase 6% e reflete tanto o aumento do petróleo no mercado internacional quanto a disparada do dólar ante o real, parâmetros que a Petrobrás usa em sua política de formação de preços.

Entre os alimentos, pães e massas subiram 3% no mês passado. Como o Brasil vai importar neste ano mais da metade do trigo que vai consumir, sobretudo da Argentina, esse grupo deve pesar no bolso do consumidor.

“A indústria tem, em média, estoque suficiente para até 90 dias. Se o fabricante tem estoque comprado com preço anterior, mais baixo, segura o reajuste e ganha em Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!